quarta-feira, junho 20, 2007
posted by Mar da Lua at quarta-feira, junho 20, 2007

A minha vida começou a mudar por esta altura, há mais ou menos uma ano é verdade, mas por esta altura. Jamais poderia supor que algo de tão grande, de tão pleno e de tão definitivo me estava reservado. Saí do local onde trabalhava com esperança nenhuma senão a de uma noite de copos e amigos. Lembro-me distintamente de todas as sensações, de cada sentir, de cada expectativa.
Na noite de 21 de Junho de 2006 - uma quarta feira e a memória não me atraiçoa - o restaurante tinha pouco movimento e desafiei o G. (noctívago convicto e tardio nas rotinas) para jantar por lá comigo à hora do fecho. O N. juntar-se-ia a nós mais tarde no Bairro. Tinha aquela sensação boa de quem se libertou do peso que trazia às costas, tinha terminado há escassas semanas uma relação de mais de 4 anos prolongada e esticada a todos os limites do que é humanamente possível.
Conversamos animadamente durante o jantar - que foi rápido - e eu estava ansiosa para desanuviar, para me deixar levar pela noite quente daquela quarta feira e para me "abanar" de copo na mão ao som dos ritmos ditados pela música de um qualquer bar do Bairro Alto. Os degraus das escadinhas do Duque subi-os dois a dois. A K. juntou-se a nós e o Side foi a primeira paragem. Um ou dois Bushmills depois ligaste "Amiga...já estou nas Primas. Como é?". Arrastei os outros três – o N. já tinha chegado – pela Rua da Atalaia acima até te encontrar sentada na arca – o sítio de sempre – à conversa com alguém.
Bebemos e rimos até às tantas. Saíram todos e ficamos nós. “Vamos ao Purex?” perguntaste. E fomos de facto, até já não restar mais ninguém. E continuamos a rir e a beber, a agitarmo-nos ao som da música e ainda não chegava. Quisemos mais. “Agora vamos dançar!” piquei eu. E fomos. Corremos e fechamos as “capelinhas” todas e estávamos bem, seguras do companheirismo solitário que nos unia, sem desejarmos mais e sem planearmos nada.
Até essa noite tinha entrado uma única vez no Finalmente. Era a opção que restava, mas também…o sítio era indiferente. O importante era a “onda”, a boa onda em que nos sentíamos, o prazer da conversa e a vontade de o prolongar.
Perdi as horas e libertei-me dos pesos. Ali, num buraco atulhado de gente, batemos de repente com os olhos uma na outra e – pela primeira vez – vimo-nos efectivamente. O tempo parou naquele instante. Desde então passou-se um ano. O Ano, acredita, da minha vida. Sem sabermos como – a tanta gente já o previra – este Amor tomou conta de Nós.
Amo-te pelo que és. Amo-te pela tua integridade, pela rectidão dos teus actos. Amo-te pela certeza que esses olhos me transmitem, pela segurança que as tuas mãos deixam adivinhar. Amo-te desde esse passo pela coragem com que encaras a vida, pela honestidade dos teus amores, pela verdade que o teu sorriso trás à vida. Amo-te Mulher. Ontem, Hoje e Sempre.
 
10 Comments:


At junho 21, 2007, Anonymous PINGUIM

Parabens ! ! !

 

At junho 21, 2007, Blogger M5Sol

O Ano da tua vida e da nossa, que pudemos, finalmente partilhar.
Que bom que é podermos estar com as amigas sem restrições, partilhar vivências, ocorências e outras coisas que tais.
Que bom é gostarmos de quem os nossos amigos gostam.
PARABÉNS.

 

At junho 21, 2007, Blogger M5Sol

Errata - onde está escrito ocorências deve ler-se ocorrências.

 

At junho 22, 2007, Blogger Mar da Lua

Pinguim: Obrigada Amiga!

M5sol: Eu percebo tão bem o que queres dizer minha querida! E que bom é poder estar de forma livre e liberta com amigos e amores :)

 

At junho 22, 2007, Blogger M5Sol

E VIVA O AMOR
E OS AMIGOS
E A VIDA
E O PRAZER
DE TER PRAZER COM TUDO!

 

At junho 22, 2007, Blogger Mar da Lua

M5sol: Gosto bués de ti miuda!

 

At junho 22, 2007, Blogger Mar da Espuma

Obrigada amor por este ano fantástico da minha vida. Foste (ÉS)a melhor coisa que me aconteceu. Contigo voltei a acreditar no amor, na partilha da vida. Sabes uma coisa? Amo a vida que temos! E agora não vale esquecer a promessa: "quatro anos são apenas os primeiros dias..."

 

At junho 22, 2007, Blogger Mar da Lua

Amor da Espuma: Promessas são promessas e jamais te prometeria algo que não cumprisse.Amo-te

 

At junho 24, 2007, Blogger Angell

Muitos parabéns!!! Que de um, venham muitas dezenas pela frente! Carregados de felicidades e alegrias... :)

Bjs!

 

At junho 25, 2007, Blogger Mar da Lua

Angell: Obrigada. :)